A Internet se converterá na “quinta potência econômica mundial” em 2016.

Econômia da InternetCaso a internet fosse um país, em 2016 ela seria a quinta maior economia do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, China, Japão e Índia, e à frente da Alemanha, de acordo com relatório elaborado pela empresa de pesquisas “Boston Consulting Group” (BCG).
Daqui a quatro anos, haverá 3.000 milhões de utilizadores em todo o mundo, em comparação com 1.900 milhões em 2010.
Por outro lado, a economia da Internet deve representar 4,2 trilhões de dólares dos países do G-20, contra 2,3 trilhões em 2010, ainda segundo o relatório do BCG.
Na verdade, a atividade econômica gerada por meio da Internet em 2016 corresponderá a 5,3% do produto interno bruto (PIB) agregado dos países do G-20.
Segundo David Dean, coautor do informativo “$4.2 Trillion Opportunity”, se a internet estivesse ranqueada como uma economia nacional estaria entre as cinco maiores do mundo, atrás apenas os Estados Unidos, Índia e Japão e à frente da Alemanha.
Este crescimento é impulsionado por duas tendências: o acesso à Internet em dispositivos móveis e pela chamada Internet “social”, onde a navegação é em grande parte impulsionado por afinidade.
Segundo o estudo citado, resultado de três anos de pesquisa em cinquenta países, no mundo em desenvolvimento, muitos consumidores vão diretamente para o social.

Evolution of the Internet

Entre os países que compõem o G-20, a Inglaterra é o país que tem o maior percentual de sua economia dependendo diretamente da Internet. Em 2016 a rede irá representar nada menos que 12,4% do produto interno bruto (PIB), diferentemente da Coréia do Sul (8%), da UE-27 (5,7%), dos Estados Unidos (5, 4%), do Canadá (3,6%) ou da França (3,4%), países ou blocos com menor dependência.
Na China, o país com mais usuários de internet no mundo, em 2016 a dependência de sua economia da internet irá representar 6,9% do PIB, enquanto que a do México vai aumentar de 2,5% do PIB em 2010 para 4,2% em 2016.
No caso de países em desenvolvimento como é o caso da Argentina e Brasil, a dependência de nossa vizinha será de 3,3% em 2016 comparado a 2% em 2010, enquanto o Brasil não alterará o percentual seu percentual de dependência, passando de 2,2% em 2010 para 2,4% em 2016.

Fonte: “The Internet Economy in the G-20“.

Deixe uma resposta