Polícia da Inglaterra planeja utilizar software de 1980 nas Olimpíadas.

Jogos Olimpícos de LondresA Polícia Metropolitana da Inglaterra usará um software da década de 1980 para coordenar o comando e as comunicações de suas operações de policiamento durante os Jogos Olímpicos de Londres.
O software, conhecido como “MetOps”, estará instalado no Comando de Operações Especiais (SOR), uma sala central e de apoio de comunicações que permitiu controlar mais de 500 grandes incidentes e eventos a cada ano, de acordo com um relatório da Polícia inglesa relacionado aos incidentes ocorridos na cidade de Londres em agosto de 2011.
O “MetOps”, um sistema de mensagens e de gravação, não foi projetado para o gerenciamento dinâmico de incidentes, e os comandantes dos meios utilizados nas operações não terão uma forma simples de ver a situação atual de um incidente no momento em que o mesmo estiver ocorrendo, segundo o relatório.
O tempo de vida do sistema “MetOps” indica que ele não está diretamente ligado ao software utilizado no centro de comunicações do Comando de Operações Especiais da Polícia inglesa (SOR), cujo sistema é identificado pelo nome de “despacho assistido por computador” (CAD), o que, segundo o relatório, pode resultar no fato do centro de comunicações não vir a ter conhecimento do que está sendo tratado dentro do “SOR” e vice-versa, até porque aquele comando pode não ter consciência do que está sendo tratado através do sistema de “CAD”.
Ainda segundo o relatório, limitações do sistema contribuíram para uma série de questões durante os tumultos ocorridos em agosto de 2011, incluindo a incapacidade de monitorar incidentes chave, comunicação lenta com comandantes nas ruas, falta de capacidade de transferir o comando para as equipes que se aproximavam e incapacidade de registrar as principais decisões e fundamentos para revisão futura.
Estas limitações significativas em torno do fluxo de informação, comunicação e coordenação dos recursos, além da enorme escala de tarefas, representaram um imenso desafio para as pessoas dentro do “SOR”, particularmente nos distúrbios ocorridos em 08 de agosto de 2011.
O processo de substituição do “MetOps” já está em curso, além de terem sido apresentadas algumas soluções temporárias, incluindo um novo sistema “GIS” o qual está sendo testado para auxiliar na coordenação dos recursos.
Também está sendo considerada pelo “SOR” a adoção do software atualmente utilizado na investigação de crimes contra a vida.
O relatório aponta que o uso de “CCTV” provou ser um fundamental à investigação de crimes cometidos durante os distúrbios, mas também afirma que existiram desafios significativos devido ao grande volume de imagens, cerca de 200.000 horas, que tiveram que ser examinadas.
A atenção da polícia para a mídia social também foi examinada no relatório, o qual destaca ter sido criado um grupo direcionado a comunicação digital, cujo propósito seria prover respostas no sentido de monitorar as mídias sociais em tempo real durante os tumultos já mencionados.
A intenção deste grupo seria a utilização da mídia social para ajudar a polícia a entender o que estaria acontecendo nas comunidades monitoradas.

Fonte: Guardian Government Computing do The Register.

Deixe uma resposta