Respeito ao Consumidor: está na hora de muitas empresas adotarem esta prática!

Respeito ao consumidor

Respeito ao consumidor

Infelizmente tem sido algo extremamente rotineiro muitos consumidores serem desrespeitados pelas empresas que eles próprios escolheram para manterem relações comerciais e obter a satisfação de suas necessidades.
Por si só, este tipo de comportamento empresarial remonta há épocas obscuras e antigas, na qual o cliente não tinha qualquer tipo de direito e deveria simplesmente consumir produtos e serviços que lhe eram impostos, sem a mínima possibilidade de reclamar.
Infelizmente as empresas são as entidades com as quais mais nos relacionamos, e estão integralmente presentes em nossas vidas, motivo pelo qual passamos boa parte de nosso tempo interagindo com elas, porém e infelizmente, de modo passivo.
As empresas nos enxergam como consumidores inertes, elas não esperam e nem iniciam o diálogo, é a política do relacionamento zero e do esforço mínimo.
Fato é que as empresas só se manifestam quando se trata de alardear aos quatro cantos do mundo as novidades de seus produtos e só ouvem qualquer coisa que diga respeito a resultados financeiros.
Mas o que muitas vezes nos chama a atenção é que muitas pessoas acham complicado reclamar e exigir seus direitos como consumidores, tratando este tipo de comportamento como se fosse algo que não resolveria seus problemas.
Mas é justamente o contrário, pois é preciso exigir tudo aquilo que nos foi prometido, cobrar o que foi insistentemente anunciado pelas campanhas de marketing e boicotar rigorosamente as empresas que agem de má fé.
Temos um exemplo histórico: Gandhi rejeitou os tecidos britânicos, num protesto pacífico e singelo para a sua época, mesmo se tratando de oposição a um todo poderoso Reino Unido!
Podemos boicotar empresas egoístas que não se relacionam com o mundo a sua volta e forçá-las a colocar-nos em suas equações e nos tratar com o respeito que merecemos.
Um importante especialista em marketing, Biodun Soyombo apontou sucintamente que no relacionamento entre empresa e consumidor o respeito deve ser recíproco, mas é fato exordial que as empresas têm de respeitar os seus clientes para ter sucesso.
Respeito pelos seus clientes é essencial para o sucesso de uma empresa, sendo que respeitar exige ouvir e tratar com humildade.
Um limpador de janelas na cidade de New York, que posteriormente fundou uma empresa gigantesca chamada “Snapple”, afirmou que nunca devemos pensar em nós mesmos como alguém melhor do que nossos clientes.
Sam Walton, o empresário em questão, viveu sob a égide desta mesma norma durante toda a sua vida.
Mas o desrespeito ao consumidor por muitas empresas já se tornou algo arraigado em suas culturas, como é o caso do Decreto 6.523 da Presidência da República, de julho de 2008, que regulamentou os serviços de “Callcenters”.
Além do atendimento cortês, o prazo para a transferência da ligação para o setor competente pelo atendimento da demanda é de 60 segundos, sob pena de sanções previstas na Lei 8.978/90, muito embora sejam raros os clientes que reclamam seus direitos.
Parece que na atualidade está fora de moda o respeito aos clientes por muitas empresas.
O legal agora, é deixar o consumidor ter que apelar para “ouvidores” e na maioria das vezes ser ignorado pelos mesmos, isto se não for necessário ter que fazer escândalo ou ir ao PROCON ou Juizados Especiais.
Será mesmo descaso das empresas, ou será que o comodismo de muitos consumidores que, não exigem providências quando são lesados, fez com que a indústria, comércio e prestadores de serviços achassem que não tem dever algum para com seus clientes?
Se a culpa é das empresas ou se é de nós consumidores, não sei. Só sei que quem deve dar o primeiro passo para resolver isso, somos nós consumidores. É exigir nota fiscal, é reclamar quando não é bem atendido, é exigir (nem que seja judicialmente), que seus direitos sejam preservados e que resolvam seu problema, seja qual for, com a empresa que for.
O que não dá, é dizer “Ah, no Brasil é assim mesmo…”, pois são pensamentos assim que tornam nosso país uma verdadeira balbúrdia, não só no respeito ao consumidor, mas em tantos outros problemas que nos incomodam.

Deixe uma resposta