“Scotland Yard” aumenta em quatro vezes o tamanho de sua unidade de investigação de cybercrimes.

Scotland Yard

A Polícia Metropolitana inglesa quadruplicou sua unidade de cybercrime e aumento para 85 o número de oficiais atuando naquela unidade em apenas dois meses, tudo em decorrência das investigações sobre grupos “hacktivist” tais como “LulzSec” e “Anonymous”.
Recentemente a “Scotland Yard” divulgou um alerta após as detenções de três adolescentes britânicos acusados de terem ligações com os grupos de hackers.
O Detetive Superintendente Charlie McMurdie, chefe da unidade criminal da Polícia Metropolitana, disse no dia 04 de agosto deste ano que a divisão de cybercrimes se beneficiou com um aumento recente de trinta milhões de libras no seu orçamento.
A Polícia Metropolitana tem ajudado a coordenar uma investigação internacional sobre “hackers” ligados a ataques contra empresas de jogos e agências governamentais, incluindo a “UK Serious Organised Crime Agency” e o Congresso dos Estados Unidos.
Jake Davis, um adolescente de apenas 18 anos das Ilhas Shetland, foi libertado sob fiança no dia 01 de agosto deste ano, após ser acusado de cinco crimes estabelecidos na lei inglesa, tais como mal uso de computadores, crimes da Lei de Crimes Graves e outros da legislação penal inglesa. Davis é acusado de coleta indevida de dados a partir de computadores, de estar envolvido com os ataques aos órgãos internacionais e ser parte de um ataque que teria incapacitado o acesso ao site da Soca (Serious and Organised Crime Agency).
A prisão de Davis, que supostamente teria utilizado o “nickname” identificado como “Topiary”, se seguiu a do adolescente Ryan Essex Cleary, realizada em junho, e a prisão e liberação há duas semanas de um jovem de 16 anos de idade de Londres cuja identidade não foi revelada.
O aparente líder do “LulzSec”, conhecido como “Sabu”, continua foragido.
A polícia inglesa advertiu que qualquer pessoa usando um computador ilegalmente – o que inclui a realização de ataques de negação de serviço, usados com freqüência pelos grupos hacker – pode vir a ser condenado à até 10 anos de prisão.
O Detetive Superintendente McMurdie advertiu: “O que eles estão fazendo não é desobediência civil, mas sim um crime grave.”
A Polícia Metropolitana disse em um comunicado: “Nos termos da legislação do Reino Unido, é uma ofensa uma pessoa agir de dentro do Reino Unido contra um computador em qualquer outro lugar do mundo, bem como é também uma ofensa se alguém em qualquer lugar do mundo afetar criminalmente a um computador no Reino Unido.”

Fonte: http://www.guardian.co.uk/profile/josh-halliday

Deixe uma resposta