Tag Archives: Organização Criminosa

Ferramentas de pesquisa na Internet e Técnicas Básicas de Investigação Online

 

Os motores de busca são uma parte intrínseca de um conjunto comum de ferramentas de pesquisa utilizadas para coleta de informações.
Juntamente com mídias sociais e nomes de domínio, tal como em soluções mais tradicionais, como por exemplo jornais e listas telefónicas, é possível tornar a busca de dados na internet muito mais eficaz, o que pode ajudá-lo a encontrar a informação vital para apoiá-lo na sua investigação.
Muitas pessoas acham que os motores de busca em variadas ocasiões, trazem resultados decepcionantes pelo uso de fontes duvidosas.
No entanto, alguns truques podem garantir que sejam encontradas exatamente as páginas que se estiver procurando, valendo-se de sites confiáveis.
O mesmo vale para buscas em redes sociais e outras fontes que podem ser utilizadas para localizar pessoas: um pouco de estratégia e uma compreensão de como extrair o que se precisa vai melhorar os resultados.
Este artigo se concentra em três áreas de investigação on-line: 

1. Busca efetiva em páginas web;
2. Procura online de pessoas,
3. Identificação de propriedade de domínios.

 

1) Busca efetiva em páginas web:

Motores de Busca como o Google não sabem como realmente são as páginas que indexam, pois apenas sabem o que está nas mesmas.
Desta forma, para obter resultados que lhe interessem, é necessário que se descubra quais são as palavras que estão inseridas nas informações armazenadas por aquele mecanismo.
Em primeiro lugar, torna-se necessária a escolha dos termos de pesquisa com o máximo critério possível, levando em conta que cada palavra adicionada a procura foca os resultados desejados e elimina aqueles que não incluem palavras-chave escolhidas.
Algumas palavras estão em todas as páginas pesquisadas, mas outras podem estar ou não na página de interesse.
Evitar palavras subjetivas pode trazer como consequência a eliminação de páginas úteis a partir dos resultados obtidos com a inserção de certas palavras.

  

Sintaxe de pesquisa avançada.

 

A maioria dos motores de busca tem recursos ocultos muito úteis que são essenciais para ajudar a dar foco a sua pesquisa e melhorar os resultados obtidos.

 

Palavras chave opcionais

 

Mesmo sem a definição anterior de palavras chave, existe a possibilidade de utilização das mesmas sem que o resultado final seja prejudicado.
Por exemplo, páginas que discutam o consumo de cocaína na cidade de São Paulo podem não incluir as palavras “São” e “Paulo”, com simples menção de diferentes nomes de cidades.
Este tipo de pesquisa pode utilizar apenas palavras chave opcionais, separando-o termos com a palavra “OR” (em letras maiúsculas).

 01

 

Você pode utilizar a mesma técnica para procurar diferentes grafias do nome de um indivíduo, empresa ou organização.

 

 02

 

Busca pelo Domínio:

 

Podemos concentrar a pesquisa a um determinado site usando a busca pela sintaxe “site:”, seguida do nome de domínio.
Por exemplo, para restringir a procura a resultados de Twitter:

 

 03

 

 Se desejar adicionar o Facebook a sua busca, simplesmente utilize “OR” novamente:

 

 04

 

 

Podemos utilizar esta técnica para nos concentrarmos no website de uma empresa em particular, pois o Google irá retornar apenas os resultados a partir deste site.
Também podemos utilizar esta técnica para concentrar nossas pesquisas em fontes governamentais ou acadêmicas, o que é particularmente eficaz quando a pesquisa é realizada em países que utilizam tipos de domínio exclusivo para sites do governo e universidades.

 

 05

 

 Ao pesquisarmos sites acadêmicos é sempre importante verificar se a página encontrada é escrita ou mantida pela instituição acadêmica ou se é mantida pela mesma, seus professores ou alunos.
Devemos dar preferência a material oriundo de fontes específicas.

  

Procurando tipos de arquivos

  

Algumas informações são publicadas na internet diretamente como determinado tipos de arquivo.
Estatísticas, números e dados aparecem frequentemente em planilhas do aplicativo “Excel”.
Relatórios e Apresentações profissionais podem ser encontrados muitas vezes como documentos do tipo “PDF”.
Podemos especificar um formato de arquivo na pesquisa a ser realizada utilizando “filetype, seguido de uma extensão de arquivo desejado (XLS para planilha, DOCX para documentos do editor World, etc.).

 

 06

 2) Procurando Pessoas:

 Grupos podem ser fáceis de encontrar na internet, mas é muito mais complicado ser encontrada uma pessoa específica.
Inicialmente, devemos começar construindo um dossiê sobre a pessoa específica que estamos tentando localizar ou sobre quem desejamos saber maiores informações.
Um exemplo de dossiê pode incluir as seguintes informações:

 • O nome da pessoa, levando em conta: diferentes variações de seu nome (Tiago chamar-se “James”, “Jim”, “Jimmy” ou “Jamie”?);
• A grafia de nomes estrangeiros em letras romanas (Yousef pode ser escrito “Youssef” ou “Yusuf”?);
• Mudanças de nome em decorrência da contração de núpcias;
• Temos a informação do nome do meio ou do nome de família?;
• A cidade onde a pessoa vive ou nasceu;
• O local de trabalho ou a empresa onde a mesma presta serviços;
• Os amigos e os nomes dos membros da família, uma vez que a pessoa pesquisada pode aparecer em listas de amigos e de seguidores;
• O número de telefone da pessoa que é procurada no Facebook e que pode aparecer em páginas da web encontradas em buscas do Google;
• Qualquer um dos nomes de usuário da pessoa, uma vez que estes são muitas vezes constantes em várias redes sociais;
• Endereço de e-mail da pessoa, uma vez que podem ser inseridos no Facebook para revelar contas vinculadas. Se você não sabe o endereço de e-mail, mas tem uma ideia do domínio que a pessoa usa, sites de provedores de correio eletrônico podem ajudá-lo a adivinhar através da tentativa de criação de contas com possíveis dados do alvo desejado;
• Uma fotografia, pois isso pode ajudá-lo a encontrar a pessoa certa, se o nome é comum.

  

Pesquisas avançadas em mídias sociais – Facebook:

  

As ferramentas de pesquisa recém-lançadas do Facebook são extremamente valiosas.
Ao contrário do que ocorria em pesquisas anteriores do Facebook, elas permitem encontrar pessoas por diferentes critérios, incluindo, pela primeira vez, as páginas que alguém tenha gostado, além de possibilitar que sejam realizadas buscas de palavras-chave nas páginas daquela rede social.
Esta pesquisa por palavra, o recurso mais recente, infelizmente, não incorpora quaisquer filtros de pesquisa avançadas (ainda). Ela também parece restringir a pesquisa a mensagens a partir do círculo social, às páginas favoritas e há algumas contas do perfil.
Além de palavras-chave em mensagens, a pesquisa pode ser dirigida a pessoas, páginas, fotos, eventos, lugares, grupos e aplicações, sendo que os resultados da pesquisa para cada um destes argumentos estão disponíveis em abas clicáveis.
Por exemplo, uma busca simples pela palavra “Palmeiras” vai encontrar e abrir páginas relacionadas e postagens, além de importantes opções de filtragem:

 

 07

 

 

 A guia “Pessoas” traz pessoas nomeadas “Palmeiras”. Tal como acontece com as outras guias, a ordem dos resultados é ponderada em favor de conexões para amigos e páginas favoritas.

 

  08

  

Existe ainda o recurso de realizarmos pesquisas com a palavra-chave “Palmeiras” relacionada a pessoas, páginas, locais e grupos, o que pode ser bastante interessante para identificarmos afinidades entre várias pessoas cujas informações nos interessam.

 

 09

 

 O real valor de uma investigação através de uma busca no Facebook se torna aparente quando você começar a concentrar uma pesquisa em cima do que realmente deseja.
Por exemplo, se estamos investigando ligações entre grupos extremistas e times de futebol, podemos procurar pessoas que gostam do time de futebol Palmeiras e ligações com determinados locais, analisando postagens que possam revelar comportamento indevido, isto utilizando a aba locais.
Assim, temos uma ferramenta que pode revelar informações de confrontos marcados por torcidas organizadas de clubes de futebol para determinadas localidades.

 

 10

 

 

Ferramentas de pesquisa no Facebook é algo relativamente novo e ainda apresentam muitas limitações, o que implica em muita paciência para obtermos resultados que possam ser relevantes para a sua pesquisa.
O Facebook também permite que sejam adicionados alguns tipos de modificadores e filtros para a pesquisa.
Por exemplo, podemos encontrar alguém pelo nome ou por localidades a que esteja vinculada.
Além disso, podemos encontrar ainda melhores resultados pesquisando através de motores de busca como Google (acrescentar “site: facebook.com”).

  

Pesquisas de Mídia Social avançadas: Twitter

  

Muitas outras redes sociais permitem pesquisas avançadas que muitas vezes vão muito além de “palavra-chave na página” como aquelas oferecidas por sites como o Google.
O Twitter, por exemplo, permite rastrear conversas entre os usuários e adicionar um intervalo de datas para a sua pesquisa.

 

 11

 

  12

O twitter permite que sites de terceiros utilizem seus dados e criem excelentes pesquisas.
Existem sites na internet que permitem que sejam pesquisadas biografias de pessoas e sejam comparados diferentes usuários (Exemplo: Followerwonk).

 

13 

 

 Pesquisas avançadas em mídias sociais: LinkedIn

 

 O LinkedIn permite que você pesquise vários campos, incluindo a localização, universidade frequentada, a empresa atual ou empresas anteriores.
Você tem que fazer login no LinkedIn, a fim de usar a pesquisa avançada, sendo importante destacarmos ser necessário verificar as configurações de privacidade, a fim de não serem deixadas pegadas rastreáveis no perfil de alguém que está investigando!
Podemos entrar em pesquisa avançada do LinkedIn, clicando no link ao lado da caixa de pesquisa, apenas sendo necessário certificar-se de selecionarmos “Conexões de 3º Grau + Todo Mundo” em relacionamento, pois caso contrário, a busca irá incluir amigos e colegas.

 

 14

 

  

O LinkedIn foi projetado principalmente para redes de negócios. Sua pesquisa avançada parece ter sido projetada principalmente para recrutadores, mas ainda é muito útil para investigadores.
Todos os dados pessoais estão em campos claramente definidos, por isso é fácil especificarmos cada elemento da pesquisa.

 

 15

 

 

 Podemos inserir palavras-chave normais, primeiro e último nomes, locais, os empregadores atuais e anteriores, universidades e outros fatores. Os assinantes do serviço Premium podem especificar o tamanho da empresa e cargo.
O LinkedIn permitirá a pesquisa de vários campos, incluindo a localização, universidade frequentada, a empresa atual, empresa passado, etc.

  

Outras Alternativas:

  

Sites como Geofeedia e Echosec permitem encontrar tweets, posts no Facebook, vídeos do YouTube, fotos no Flickr e Instagram que foram enviados a partir de locais definidos.
Basta apenas desenhar uma caixa sobre uma região e indicar a atividade de mídia social desejada.
Serviços como Geosocialfootprint.com permite traçar a atividade de um usuário no Twitter em um mapa (assumindo que os usuários pesquisados permitem a sua localização em suas contas).
Além disso, “pesquisa de pessoas” por ferramentas especializadas como Pipl e Spokeo realizam um monte de trabalho braçal duro numa investigação através de pesquisa específica em vários bancos de dados, redes sociais e até mesmo sites de namoro.
Basta digitar um nome, endereço de e-mail ou nome de usuário e deixar a busca fazer o resto.
Outra opção é usar a ferramenta Multisearch de Storyful, um plugin para o navegador Chrome que permite a introdução de um único termo de pesquisa, tal como um nome de usuário e obter resultados de Twitter, Instagram, YouTube, Tumblr e Spokeo, com cada local aberto em uma nova aba do navegador com os resultados relevantes. 

 

Procurando por fotos em perfis:

  As pessoas costumam usar a mesma foto como imagem de perfil para diferentes redes sociais. Sendo este o caso, uma pesquisa de imagem inversa em sites como o TinEye e Google Imagens, ajudará a identificar contas vinculadas.

 

 16

 

 3) Identificando proprietários de domínios:

 

Muitos investigadores acabam sendo enganados por sites maliciosos, uma vez que é muito fácil para qualquer um comprar um domínio “.com”, “.net” ou “.org”, sem qualquer valor para uma investigação.
Um site que parece bem produzido e tem o nome de domínio autêntico pode ser uma farsa, uma falsa empresa ou até mesmo uma brincadeira.
Algum grau de controle de qualidade pode ser obtido através da análise do próprio nome de domínio, como por exemplo utilizando o Google para ver o que outras pessoas estão dizendo sobre o site.
Uma busca “WHOIS” também é essencial, sendo que o serviço DomainTools.com é um dos muitos sites que oferecem a capacidade de realizar uma pesquisa whois.
Ela irá mostrar os detalhes de registro dado pelo proprietário do site e informações sobre domínio.
Por exemplo, a Organização Mundial do Comércio foi precedida pelo Acordo Geral de Tarifas e Negócios (GATT).
Há, aparentemente, dois locais que representam a OMC: wto.org (genuína) e gatt.org (uma farsa).
Uma simples olhada no site hospedado no gatt.org permite dizer a maioria dos investigadores que algo está errado, muito embora muitas pessoas já foram enganadas pelo domínio falso.
Uma busca WHOIS dissipa qualquer dúvida, ao revelar as informações de nome de domínio registrado.
Wto.org está registrado no Centro Internacional de Computação das Nações Unidas.
Gatt.org, no entanto, está registrado para “Andy Bichlbaum” um dos integrantes de um grupo cômico denominado “Yes Men”.

 

 17

 

 

 

Whois não é uma panaceia universal para verificação, pois as pessoas muitas vezes podem falsificar informações em um formulário de registro de domínio.
Outras pessoas podem utilizar um serviço de anonimato como Domains by Proxy, mas a combinação de uma pesquisa Whois com outro nome de domínio e ferramentas de endereços IP constituem uma arma valiosa na batalha para fornecer material útil a partir de fontes autênticas.
A internet e seus diversos sites e serviços é uma fonte muito rica de informações e recursos preciosos para investigações, como utilizar este vasto arsenal é apenas questão de identificar-se a ferramenta ou o procedimento mais adequado.

 

Nossa participação no VI Congresso Fecomercio de Crimes Eletrônicos

Fecomercio Crimes Eletrônicos

Administrador do “Silk Road”, site de venda de drogas e armas da “Deep Web”, é preso nos Estados Unidos.

O Fim do "Silk Road"?

O Fim do “Silk Road”?

Autoridades norte americanas prenderam um homem em San Francisco, Califórnia sob a acusação de ser o operador de um dos mais famosos sites da denominada “Deep Web” e que permitiria a seus usuários comprar armas e drogas do mundo todo usando uma moeda criptografada, denominada “Bit Coin”, a qual garantiria o anonimato dos mesmos.
Ross William Ulbricht, também conhecido como “Infame Pirata Roberts”, foi preso pelo FBI na terça-feira por seu suposto envolvimento com o site da “Deep Web” denominado “Silk Road”, um mercado online de drogas e armas, de acordo com documentos judiciais, publicados nesta semana.
Uma denúncia velada de 27 de Setembro teria sido formalizada pelo pesquisador de segurança Brian Krebs na qual Ulbricht é acusado de tráfico de drogas,  conspiração, lavagem de dinheiro e muito mais.
Segundo Promotores norte americanos, Ulbricht teria auxiliado no tráfico de substâncias controladas desde 2011 até a semana passada.
As Autoridades dos Estados Unidos dizem que os narcóticos movimentados através do site “Silk Road” incluiria um quilograma de heroína, 5 kg de cocaína, 10 gramas de LSD e 500 gramas de metanfetamina.
Além disso, os promotores afirmam que Ulbricht teria solicitado em março deste ano que um usuário do “Silk Road” praticasse um assassinato de aluguel. O candidato a vítima, de acordo com o FBI, seria um outro usuário do site, que teria ameaçado liberar a identidade de milhares de usuários do “Silk Road”.
Ao permitir a usuários realizar negócios através de software de anonimato, utilizando a moeda digital criptografada “Bitcoin”, o “Silk Road” funcionaria desde 2011 como um centro online para atividades ilegais.
Antes de ser encerrado, os clientes do “Silk Road” que tivessem conhecimento suficiente para navegar pelo site, podiam acessar uma infinidade de produtos para aquisição através de “Bitcoin”, tais como armas de fogo ilegais, drogas ou, supostamente, assassinatos.

Fraude contra Televisão por Assinatura

Cerca de 10% dos cerca de 17 milhões de assinantes da TV paga no Brasil em todas as modalidades utilizam artifícios fraudulentos como o denominado “cardsharing”com o objetivo de ter acesso a mais canais do que paga em seu pacote com a operadora. Em outras palavras: o assinante compra na rua ou na internet um receptor que consegue burlar a proteção no sinal que ele recebe em sua casa por intermédio do compartilhamento das chaves criptográficas pela internet. Fato é que a pirataria tem crescido de maneira praticamente equivalente em todos os países latinos e até mesmo nos Estados Unidos. Na reportagem apresentada pelo Jornal da Gazeta no dia 06 de Agosto de 2013, você pode acompanhar nossa entrevista trazendo comentários sobre a pirataria dos sinais de televisão por assinatura.

87 decodificadores de TV ilegais são apreendidos pela Polícia em feira popular de Brasília.

Ação Antipirataria em Brasília

A Polícia Civil do Distrito Federal apreendeu na terça-feira, dia 04, 87  (oitenta e sete) aparelhos decodificadores de sinal para TV por assinatura, utilizados para fraudar o acesso a programação de fornecida por empresas de televisão por assinatura (Cardsharing).
Os receptores, produto de contrabando, eram vendidos em bancas da Feira dos Importados, no SIA, Distrito Federal.

Ação Antipirataria em Brasília
Ação Antipirataria em Brasília

Durante a operação, quatro pessoas foram autuadas em flagrante, mas pagaram fiança e foram posteriormente liberados.
A ação é fruto de uma das várias ações promovidas pela Alianza Contra la Piratería de Televisión Paga (Aliança Contra a Pirataria da Televisão Paga), cuja missão é combater uma forma de pirataria conhecida na indústria de televisão por assinatura por “Cardsharing”, tendo a ação de campo realizada pela Delegacia de Combate aos Crimes de Propriedade Imaterial (DCPIM) da Polícia Civil de Brasília.
Desde 2010, mais de 50 marcas de decodificadores destinados à pirataria dos sinais de televisão por assinatura apareceram no mercado latino-americano.
Esta modalidade de pirataria é comandada por fabricantes internacionais dos decodificadores e pelas redes organizadas de distribuição e apoio ao uso dos aparelhos para propósitos não autorizados.

Ação Antipirataria em Brasília
Ação Antipirataria em Brasília

Entre os atuais apoiadores da Alianza estão DirecTV PanAmericana, Sky Brasil, Telefonica, VTR e Claro Peru, Claro Ecuador, Claro Colombia, Claro Chile, Discovery, ESPN, Canais Latino Americanos da Fox International, Globosat, Grupo Latino Americano da HBO, Telecine, Televisa, Turner Broadcasting System Latin America, Win Sports, ABTA, Media Networks Latin America e Nagra.
Os aparelhos decodificam recebem pela internet ou por um outro satélite as chaves criptográficas utilizadas para codificação dos sinais transmitidos pelas operadoras de televisão por assinatura e e permitem que seu utilizador possa assistir aos canais fechados, permitindo acesso total a programação dos canais de televisão.
Nesta operação a Polícia também autuou seis bancas instaladas na feira.
Segundo o Delegado Luiz Henrique Sampaio, que coordenou toda a operação, os aparelhos vendidos eram todos contrabandeados e seus vendedores forneciam inclusive à pessoa responsável pela instalação do produto.
Segundo a Polícia, o preço do aparelho variava entre R$300,00 a R$700,00, sendo que o valor da instalação custava em torno de R$120,00.
Todos os aparelhos apreendidos foram contrabandeados da China, Coreia e Paraguai, sendo que os autuados deverão responder por contrabando e crime contra o consumidor, ficando sujeitos a penas que variam de 1 a 6 anos de prisão.

Ação Antipirataria em Brasília